Residenciais - Comerciais - Industriais

Mais que tecnologia, lajes e painéis treliçados.

Imprimir
PDF

Detalhes Técnicos

Lajes Treliçadas:
Cerâmica

Laje Treliçada com Cerâmicas :

  • Material utilizável para todos os tipos de estrutura.
  • Possibilita um ganho econômico de 15% da laje acabada.
  • Material de fácil aplicação, não requer mão de obra especializada.
  • Minimização da quantidade de formas e escoramentos.
  • Facilidade para embutir tubulações eliminando rebaixos e forros falsos.
  • Redução ou eliminação de vigas secundárias permitindo, assim, uma redução no custo estrutural da obra.
  • Possui uma grande vantagem de distribuição de alvenarias sobre a laje tornando este sistema uma opção flexível para um projeto arquitetônico arrojado.
  • Material de fácil aplicação de revestimentos, evitando trincas.
  • Em espessuras de lajes maiores, podem ser complementadas com blocos de EPS, tornando-se lajes com elemento de enchimento misto.

Detalhe de laje cerâmica
orcamento clip image001

Detalhe de laje mista (cerâmica + EPS)
orcamento clip image002

Isopor (EPS)

Laje Unidirecional com EPS :

Podem ser utilizados em qualquer tipo de estrutura.

  • É capaz de vencer grandes vãos e suportar grandes cargas.
  • Favorece a execução de projetos arquitetônicos mais arrojados.
  • Proporciona extraordinário alívio das cargas e conseqüente redução das solicitações nas vigas, pilares e fundações, proporcionando significativa economia de gastos com aço, concreto e fôrmas em toda a estrutura.
  • Redução da mão de obra no canteiro.
  • Facilidade para embutir tubulações, eliminando rebaixos e forros falsos.

Detalhe Ilustrativo:
orcamento clip image003 

Bidirecional (EPS)

Laje Treliçada Bidirecional com EPS :

  • Alívio de 30% em peso próprio e 25,5% no consumo de concreto, comparando com a laje maciça.
  • Apresentam menores esforços em cada direção, podendo ser projetadas com alturas menores.
  • Face inferior da laje lisa, em relação à laje com forma plástica removível.
  • Possibilidade de execução de panos de lajes de grades dimensões, proporcionando a característica de planta flexível em edifícios, podendo as paredes terem suas posições alteradas sem a tradicional interferência de vigas.
  • Maior rigidez do painel da laje, devido às nervuras em duas direções, com menores deformações.

orcamento clip image004


Painel

Mini Paínel (Maciço):

  • Superfície inferior contínua, eliminando revestimentos normais (chapiscos, embaço e reboco),podendo ser pintado, envernizado ou aparência de concreto aparente.
  • Possibilidade de acabamento em massa corrida, ou gesso aplicado.
  • Redução de escoramento em 23% se comparado com laje maciça.
  • Praticidade no transporte, não exigindo mão de obra especializada.
  • Rapidez na montagem e concretagem, reduzindo prazo de execução da obra, possibilitando obras rápidas e com redução de mão de obra.
  • Eliminando de 100% em fôrmas substituem a madeira, sendo o próprio painel uma fôrma que fica incorporada a laje acabada, compondo a seção final de concreto com a armadura.
  • Podem ser armadas em uma ou duas direções, podendo ser adequadas em projetos pré - definidos em laje maciça.
  • Índice nulo de perdas de materiais, sem prejuizos para os usuários.

Detalhe Ilustrativo:
orcamento clip image005 

Mini Paínel (EPS):

  • Possibilidade de grandes dimensões, com peso controlado.
  • Redução de peso próprio em 37%.
  • Perfeitamente projetados tanto em lajes unidirecionais como bidirecionais.
  • Eliminação de fôrmas de madeira em 100%.
  • Possibilidade de distribuição de paredes sobre as lajes, proporcionada a característica de planta flexível.
  • Redução da qualidade de vigas e pilares.
  • Permite circulação de operários durante a montagem e concretagem sem riscos de quedas.

O Mini Painel com EPS permite também a circulação de operários durante a montagem e concretagem, sem que estes tenham riscos de quedas. Na superfície inferior dos painéis, o concreto apresenta-se com uma aparência lisa e homegênia, ou seja, pode permanecer aparente, receber pintura ou ainda acabamento de gesso diretamente.

Vantagens:

  • Redução de peso próprio em 37%.
  • Possibilidade de grandes dimensões, com peso controlado.
  • Redução da quantidade de vigas e pilares.
  • Permite circulação de operários durante a montagem e concretagem sem riscos de quedas.
  • Redução do custo final da obra em até 40% pela economia em aço, concreto, reboco de forro,
  • Madeira e mão de obra. Eliminação de fôrmas de madeira em 100%.

Detalhe Ilustrativo
orcamento clip image006 

Bidirecional (EPS)

Lajes armadas em duas direções são concebidas para distribuir as cargas em duas direções, e por isto apresentam menores esforços em cada direção, podendo ser projetadas com alturas menores.

orcamento clip image007

Para que uma laje possua um funcionamento bidirecional, é necessário que, além de possuir apoios em todos os bordos, que a relação entre os lados seja próxima a um, o que equivale a uma laje quadrada. Quanto mais a relação entre os lados for crescendo, mais os esforços vão sendo distribuídos na direção do menor vão, e a laje perde o seu comportamento bidirecional.

Dados Técnicos:

Lajes:
1.1 - Conceito

Uma estrutura de concreto armado é formada basicamente por três tipos de peças estruturais: lajes, vigas e pilares.
Segundo a norma NBR 6118, lajes são "estruturas laminares planas solicitadas predominantemente por cargas normais ao seu plano médio", ou seja, laje é toda estrutura plana que recebe as cargas atuantes de um sistema, sejam as de seu peso próprio, ou as de utilização, e as transmitem para as vigas ou paredes, que por sua vez as trasmitem aos pilares, chegando em seguida às fundações e ao solo.

1.2- Tipos de laje

Faremos a seguir uma comparação entre os dois principais tipos de laje:

1.2.1 - Maciças: São constituidas integralmente de concreto armado, a partir do lançamento do concreto sobre as barras da aço posicionadas sobre um tablado. Elas podem ser armadas em uma só direção com a armação resistente disposta, sempre que possível, na direção do vão menor da laje, ou armadas em cruz, isto é, nas duas direções, e apoiadas em todo o perímetro.

VANTAGENS: atende tecnicamente bem os casos de vãos e cargas onde a solução implique em lajes com alturas menores ou iguais a 15 cm de altura.
DESVANTAGENS: possui elevado consumo de concreto; o alto peso próprio não permite otimizar e racionalizar as definições técnicas e econômicas dos demais elementos estruturais, como por exemplo, vigas, pilares e fundações; é uma estrutura moldada in loco, o que gera um alto custo de madeira para fôrmas, aumenta o custo da mão-de-obra e o tempo de execução.

1.2.2 - Nervuradas: podem ser moldadas na obra ou pré-fabricadas:
1.2.2.1 - Moldadas na obra: são montadas sobre um tablado, e além das armaduras recebem também peças de um elemento inerte, chamado de caixão perdido (geralmente de material cerâmico).
VANTAGENS: é capaz de vencer grandes vãos livres e suportar grandes cargas, com alturas relativamente baixas; é capaz de suportar paredes diretamente sobre a laje. Fazendo-se previamente as definições necessárias; possui um baixo peso próprio, o que permite reduzir as dimensões das demais peças estruturais, reduzindo também o custo.

DESVANTAGENS: é uma estrutura moldada in loco, o que gera um alto custo da madeira para fôrmas, aumenta o custo da mão-de-obra e o tempo de execução.
1.2.2.2 - Pré-Fabricadas: as vigotas que formarão as nervuras já são levadas prontas para o obra, onde se faz a montagem, intercala-se os elementos inertes às vigotas, coloca-se os demais elementos, sobre os quais falaremos a seguir, e por fim é lançado o concreto de capeamento.
Esse sistema de lajes pré-fabricadas, começou a ser utilizado com a laje convencional. Com isso se conseguiu uma redução considerável no custo final da obra, devido à redução no custo de fôrmas e ao aumento da praticidade do sistema construtivo, o que gerou uma economia de tempo e mão-de-obra.

Mas por outro lado, esse sistema ainda se mostrou um pouco limitado tecnicamente, não podendo atender aos grandes vãos e grandes carregamentos. Isto se deve à impossibilidade de colocação de estribos para o combate aos esforços cortantes, e à superfície lisa na parte superior das vigotas, o que prejudica muito a aderência entre vigotas e o concreto do capeamento, não podendo desta forma garantir a monoliticidade da estrutura e ficando sujeito a trincas e fissuras.
Devido a essas limitações das lajes convencionais apresentada acima, desenvolveu-se as vigotas treliçadas que, além de superar as deficiências que as lajes convencionais apresentam, podem também, competir com a laje maciça no que diz respeito à relação custo x benefício. Suas principais vantagens são:

É capaz de suportar paredes diretamente sobre a laje, fazendo-se previamentes as definições necessárias; possui um baixo peso próprio, o que permite reduzir as dimensões das demais peças estruturais,reduzindo também o custo; é de fácil manuseio no transporte horizontal e vertical; reduz o custo final da obra porque economiza aço, concreto, madeira e mão-de-obra.

Armação Treliçada

É um elemento caracterizado pelas diversas propriedades que apresenta em função de sua geometria espacial. Podemos dividir esse elemento em três partes distintas:

*Banzo Inferior (ferragem positiva) - serve para combater as tensões de tração oriundas da flexão. Quando necessário, coloca-se a ferragem adicional para complementar a ferragem existente na armação treliçada.

*Banzo Superior (ferragem negativa) - é o principal responsável pela rigidez ao transporte e também determina a distância máxima entre linhas e escora.

*Diagonal ou Sinusóide (ferragem transversal) - é o responsável pelo combate as tensões de cisalhamento oriundas da força cortante.

1

A Altura da treliça varia normalmente entre 8 e 30 cm. O passo da sinusóide é de 20 cm e a distância entre as duas barras banzo inferior é, geralmnete, igual a 8 cm.
As treliças são padronizadas por um código TR seguida dos seguintes digitos: dois primeiros representam a altura, e os três digitos restantes para representar a bitola em mm do bonzo superior, sinusóide e banzo inferior, respectivamente, sem casas decimais.
A armadura das treliças é constituída de fios de aço CA60, com resistêciacaracterística de 600kgf/cm². Desta forma o código TR20656 (por exemplo) designa uma treliça de 20 cm de altura, um fio de 6 mm no banxo superior, sinusóides com 5 mm e dois fiod de 6mm no banzo inferior.